Logotipo - Juliano Valim protocola denúncia contra Sandro Fantinel na Comissão de Ética

Juliano Valim protocola denúncia contra Sandro Fantinel na Comissão de Ética

Vereador do PSD quer esclarecer manifestação do colega do Patriota, que insinuou que prefeito de Caxias teria sido coagido

Colunista - André Tajes

André Tajes

andre.tajes@serraempauta.com
13.10.2021 - 16h57min

Letícia Kreling/Divulgação
Foto Principal - Notícia

* Atualizada às 18h11min.

O vereador Juliano Valim (PSD) protocolou na Câmara de Vereadores de Caxias, no final da manhã desta quarta-feira (13), uma denúncia de suposto ato que fere o decoro parlamentar contra o vereador Sandro Fantinel (Patriota).

Leia também:
Vereador de PSD reage a insinuação de que prefeito de Caxias teria sido coagido

No documento, Valim diz que Fantinel, participou de uma manifestação, no início de setembro, em frente à Prefeitura de Caxias, e que informou aos manifestantes que vereadores coagiram o prefeito Adiló Didomenico (PSDB) a implantar o decreto que exige o passaporte da vacina ou sanitário para entrada em estabelecimentos de lazer e entretenimento.

A denúncia pede a suspensão de Fantinel por 30 dias, e o impedimento dos vereadores Maurício Marcon (sem partido), Alexandre Bortoluz (PP) e Adriano Bressan (PTB), como relatores do processo na Comissão de Ética Parlamentar, responsável por investigar a denúncia. O motivo seria “a forte ligação ideológica, a atuação conjunta nos trabalhos legislativos e amizade pessoal” entre os vereadores.

O documento pede ainda que Fantinel informe quais vereadores coagiram o prefeito, e que intime para depoimentos os vereadores autores da indicação e Adiló.

Valim é autor da indicação ao Executivo municipal que propõe tornar obrigatória a apresentação da carteira de vacinação da covid-19 para entrar em casas noturnas, casas de shows, teatros, cinemas, museus, estádios e ginásios de esportes. Também assinaram o documento, os vereadores Adriano Bressan (PTB), Alexandre Bortoluz (PP), Clóvis Xuxa (PTB), Denise Pessôa (PT), Elisandro Fiuza (Republicanos), Estela Balardin (PT), Felipe Gremelmaier (MDB), Gládis Frizzo (MDB), Lucas Caregnato (PT), Marisol Santos (PSDB), Olmir Cadore (PSDB), Rafael Bueno (PDT), Renato Oliveira (PCdoB), Ricardo Daneluz (PDT), Tatiane Frizzo (PSDB) e Wagner Petrini (PSB).

Fantinel disse que na Câmara é normal discutir com causa de ideologia e questões partidárias, mas nunca ataque entre colegas. Ele reforça que não há nenhuma ofensa do vídeo.

"Eu falei que a forma de fazer uma indicação por 16 vereadores é uma forma de coagir. Eu não disse que coagiram o prefeito. Eu disse que é uma forma de coagir. Não fiz nome de ninguém, não acusei ninguém naquele dia. É um absurdo o que ele está fazendo. Não tenho medo nenhum dessa história. Não tenho nada contra ele, além de pena".

Leia mais:
Vereador do PSB, de Caxias, apresenta projeto para criar o Banco do Brinquedo e do Livro
Secretaria estadual da Saúde repassa R$ 15 milhões para ampliação do Hospital Geral de Caxias
Soberanas da Festa da Uva 2022 cumprem primeira agenda de divulgação em festas regionais
Prefeito de Farroupilha veta distribuição de absorventes a estudantes
Vereadoras visitam o Banco de Perucas do Hospital Geral de Caxias do Sul

Tags:

Legislativo Câmara de Vereadores de Caxias do Sul Juliano Valim denúncia Sandro Fantinel Adiló Didomenico Comissão de Ética coagido passaporte sanitário Caxias do Sul