Logotipo - Vereador mais votado de Caxias do Sul vai receber um salário mínimo

Vereador mais votado de Caxias do Sul vai receber um salário mínimo

Mauricio Marcon pretende doar o restante do vencimento de R$ 10,6 mil para caridade

Colunista - André Tajes

André Tajes

andre.tajes@serraempauta.com
17.11.2020 - 17h10min

Reprodução/Divulgação
Foto Principal - Notícia

A eleição para a Câmara Municipal de Caxias do Sul concedeu ao empresário Mauricio Marcon (Novo), 33 anos, o título de vereador mais votado de 2020, com 5.618 votos. É Economista formado pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), e proprietário de uma loja de roupas infantis, localizada no bairro Pio X. A primeira reação após a confirmação da conquista na noite de domingo (15), foi abraçar a esposa, Patrícia Loeser Marcon.

- Fiz a maior votação da cidade, sem um dinheiro público, me deixou muito feliz.

Marcon se diz bem-humorado, um cara simples e que dá valor as pessoas. Diz que entrou na política para ajudar o próximo, e não para ganhar dinheiro ou se perpetuar no poder.

Interessado pela política desde criança, Marcon percorreu o mesmo caminho de outras lideranças – foi presidente de classe na Escola João Triches, e participou do Grêmio Estudantil da Escola Santa Catarina. Aos 17 anos filiou-se ao PSDB, partido que na época fazia oposição ao governo do ex-presidente Lula.

- Meu interesse (pela política) vem desde pequeno. Eu pedia ao meu pai para ir nas carreatas. Sempre fui antipetista. Quando o Lula tinha 80% de aprovação eu fazia parte dos 20% que detestava o modelo do governo petista – conta.

Em 2016, durante um almoço de família, seu irmão ofereceu R$ 300 para auxiliar na campanha de vereador. Ele aceitou o desafio, conquistou 1.181 votos, e ficou como segundo suplente da sigla. Porém, o PSDB já não atendia suas expectativas e ingressou no Novo.

- Ia trocar para outro partido mais a direita e não deu tempo. Descobri o Novo no meio da eleição. O Novo é a minha casa, tem um estatuto baseado no liberalismo, baseado em ideias que deram certo no mundo e me sinto muito confortável dentro do Novo – ressalta.

Na eleição de 2018, concorreu a deputado federal e obteve 11.003 votos e é o primeiro suplente do deputado Marcel van Hatten (Novo), principal liderança do partido no Rio Grande do Sul.

Sobre o mandato conquistado para a Câmara, Marcon compromete-se em doar a maior parte do salário de R$ 10.607,83, e apresentar um projeto de lei para reduzir o número de 23 para 17 vereadores para a próxima legislatura.

- Vou ficar somente com um salário mínimo (R$ 1.045). O restante vou doar para a caridade. Em 2012, tivemos um acréscimo (de vereadores) que custou nesses 8 anos cerca de R$ 12 milhões. Esse recurso poderia ser utilizado para a ampliação do Hospital Geral e a compra de vagas em creches. O primeiro projeto que o Novo irá apresentar é a diminuição do número de vereadores. Vou usar a força da população para pressionar os vereadores - diz.

Marcon diz ainda que pretende cumprir com o papel do vereador que é o de fiscalizar o Executivo, além de examinar e propor a revogação de leis que “atrapalham a vida de quem quer empreender”.

- O vereador não deve ser síndico, o papel do vereador não é esse. Caxias tem mais de 9 mil leis, leis absurdas. A ideia é pegar lei por lei e ver o que pode ser revogado e alterar para facilitar a vida das pessoas que querem "empreender e viver em paz".

O vereador mais votado da cidade também pretende protocolar um projeto de lei para estabelecer um prazo para a emissão de alvarás para agilizar a abertura de novas empresas e projetos de construção.

Tags:

Eleições 2020 vereador mais votado Maurício Marcon Câmara de Vereadores Caxias do Sul